Ilusão!


Gn 3.1 – Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o SENHOR Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?

Ao ler o primeiro livro da bíblia, logo no capítulo 3, vamos encontrar a descrição de um animal que é o mais sagaz de todos que Deus havia feito, usado por satanás para trazer sobre a criação de Deus, uma distorção do que Deus havia dito.

Em sua conversa inicial com Eva, faz uma pergunta que está repleta de veneno, querendo gerar dúvidas, questionamentos. Satanás nunca vem com uma inversão completa, se não o homem rejeitaria de cara, mas vem com algumas distorções, que aos poucos dissemina seu veneno.

Nunca ele vem logo de cara com uma mentira completa, mais com meias verdades, até distorcê-las completamente. Aqui se encontra o perigo. Porque o homem não precisa de um copo cheio de veneno para morrer, mas basta uma pequena quantidade.

Quando Eva responde, ela já fala diferente do decreto de Deus, acrescentando algo que Deus não falara.

Gn 3.3 – Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais.

Parece insignificante este acréscimo, no entanto pode estar demonstrando duvidas e hesitação em relação ao que Deus determinou. Quando o conhecimento da verdade esta turva, ou equivocado, existe um sério risco de transgressão.

Após um contato inicial, a serpente fala totalmente contrário da ordem de Deus.

Toda a vez que a verdade é, e tem sido distorcida, apresenta sempre uma aparência de vantagem, e falácia da serpente é que ao comer do fruto, eles seriam autossuficientes, seriam iguais a Deus, ou seja, vemos aqui a ilusão da grandeza.

Gn 3.4Então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis.

Gn 3.5Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal.

O fato que vemos, é a mentira da serpente gerando a dúvida, exatamente como é feito nos nossos dias, para depois da dúvida a negação da fé.

É um discurso que temos visto se repetir em nossos dias com uma outra roupagem. Viva a vida, você não tem nada a perder, só a ganhar. Faça o que te da vontade, não se arrependa de nada do que você fez e sim do que deixou de fazer.

Nota-se que a estratégia do nosso inimigo é sempre a mesma, iludir, seduzir, envolver, cativar fazendo com que o pecado se torne atrativo e traga a ilusão do prazer.

Gn 3.6 – Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu.

A mulher olha e vê que a árvore é boa para se comer, que é agradável aos olhos. O pecado em sua concepção é doce, mas é amargo em sua essência.

Gn 3.7 – Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si.

Uma vez que o pecado é cometido toda a ilusão se dissipa, permanecendo a culpa do ato em si, a decepção é terrível. As ilusões do pecado ao ser praticado produz amargura.

Somente Deus pode remir a culpa do homem, não adianta coser folhas de figueira, todas as tentativas sem Deus são em vão.

Devemos estar sob a cruz de Cristo a fim de não sermos enganados pelas ilusões propostas para o homem. Somente o sacrifício de Cristo na cruz quebra o encanto e a escravidão produzidos pelo pecado, que tanto praticamos.

Somente em Cristo podemos ser redimidos. Abrace a verdade do evangelho todos os dias da sua vida, viva em Cristo.

Solus Christus
Flavio Franco

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

About Flavio Franco

Casado com a Giuliana, pai da Giullia e do Flávio, pastor titular na Igreja Batista Aliança em Bauru/SP. Atualmente leciona a matéria de Teologia Sistemática e práticas pastorais na Ert – Escola de teologia reformada, é membro do conselho local da Fateo (Seminário Teológico Batista do Estado de São Paulo), escreve regularmente para este blog.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *